Many Worlds, Many Languages

27 de junho de 2014

O Rito de Pan (Invocação), por Dion Fortune

Imagem: Gui Brigaudiot
Veio a voz do Destino, 
Chamando através do mar jônico
"O Grande Deus Pan está morto, está morto." 
Humilhada está a cabeça de Chifres 
Feche a porta pois não à chave
Para os vales em ruínas de Arcádia

Acorrentado pela Idade do Ferro 
Perdido da herança das florestas
Pesado segue o coração do homem 
Separado de Pan de leves pés; 
Exausto o coração segue acorrentado, 
Até que o Deus-Bode voltou, renovado.

Metade homem e metade animal
Pan é o melhor, Pan é o maioral 
Pan é Tudo e Tudo é Pan; 
Procure por Ele em todo homem 
De rápidos cascos e coxas encabeladas, 
Siga-o até os bosques de Arcádia

Ele vai acordar os mortos vivos 
Filho e sobrinho, esposa e marido 
Coração humano e mente humana 
Pan vem de novo, invocando as nossas chamas 
Metade homem e metade animal 
Pan é Tudo, Pan é o Pai primordial 
Venha, ó Deus Bode, venha a mim!


Tradução e adaptação: Álex Hylaios 
Retirado do livro "The Goat-Foot God" de Dion Fortune, 1936.

       

25 de junho de 2014

Invocação a Pan, por Dion Fortune

Le Faun - Carlos Schwabe (1923) 

"Eu sou Aquela que do Mar surgiu e sobre a Terra caminha
Ó Primogênito do Amor venha a mim
E permita que os mundos sejam formados por mim e por Ti
Dion Fortune

Doador da vinha, do vinho e do êxtase
Deus dos jardins, pastor sobre os capins
Portador do pânico que faz os homens fugirem
Eu sou sua sacerdotisa responda a mim!

Embora eu receba todos os presentes que tu provê, me trazes
Vida e mais vida em pleno êxtase do viver
Eu sou a Lua, a Lua que te invoca aqui
Eu sou a terra esperançosa que necessita de Ti!
Vinde a mim Grande Pan, vinde a mim!"


Tradução e adaptação: Álex Hylaios
Invocação presente no livro "The Goat-foot God" de Dion Fortune. 1936