Many Worlds, Many Languages

8 de setembro de 2015

Roda do Ano em honra à Gaia

Criei outro modelo de roda do ano, baseada na Deusa Gaia. Mesmo os sabbats sendo ritos solares basicamente focados no ciclo anual do Deus, é possível adaptá-los com o foco nos mitos e divindades femininas.


Gaia Altarpiece - Elsie Russel. 1992.
Samhain - Gaia a Senhora das Profecias
Você pode trabalhar a questão oracular, os sonhos proféticos e as jornadas ao submundo. Gaia é chamada pelos gregos antigos de "A Primeira Profetisa", ela foi a primeira divindade a reger o Oráculo de Delfos antes de suas filhas e neto e sempre teve ligação com o submundo (Erebo e Tártaro são seus irmãos e consortes).

Yule - Gaia a Mãe-Avó Protetora
Gaia protegeu, cuidou e treinou Zeus junto de sua mãe desde seu nascimento até que ele tivesse poder pra enfrentar seu pai.

Imbolc - Gaia a Senhora da Purificação
Após Apolo matar uma das filhas de Gaia, a Píton, a Deusa o amaldiçoa e ele se vê mergulhado em miasma (poluição espiritual para os gregos) Ela o orienta a fazer uma peregrinação onde se purificaria começando no local da morte da Píton e terminando em Delfos. Quando Ele chega lá Ela o presenteia com o poder sobre os oráculos.

Ostara - Gaia a Senhora da Vida
Quando Perséfone é atraída pro local onde seria "raptada" por Hades, o que chama a atenção dela até lá é uma flor de narciso que Gaia faz nascer ali no local. Ela pode ser honrada como a Senhora da Vida e que ajudou a fazer acontecer um dos mitos de amor da Grécia mais bonitos até hoje.

Beltane - Gaia a Senhora da Fertilidade
Gaia. Thalia Took.
Nas Dionisíacas Rurais (festas de êxtase e com alto teor sexual) Gaia era uma das divindades honradas junto de Dioniso e Pan. O fogo que também é uma das representações de Dioniso, é dito ser alimentado pela terra (Gaia).

Litha - Gaia a Rainha dos Deuses
É de conhecimento geral que quem manda na porra toda é Ela. Em todas as guerras, destruições do mundo e etc, quem ajudava, articulava e salvava a pele da galera quando a coisa ficava feia era Gaia. Nem Zeus consegue deter o poder Dela e a reconhece como a Mater Panton (Mãe de Tudo).

Lammas - Gaia a Senhora das Colheitas
É a Deusa da Terra, a Mãe Natureza e foi super cultuada junto dos templos de Deméter, Hera e Rhea-Cibele também com esse aspecto. Aqui nem preciso falar muito que é meio óbvio rs.

Mabon - Gaia a Deusa da Destruição e da Família
"Porque você não jogou esse aspecto no Samhain?"
Porque no Mabon é quando morrem nossos sentimentos velhos, nossa perspectiva se volta pra dentro e passamos por grande fase de reflexão. Um dos grandes temas do Mabon é a reflexão e voltar-se pra família, preparando-se pro Samhain e tal. Gaia é a Mãe de todos os Deuses e homens (Megale Meter - A Grande Deusa-Mãe) e nesse momento você pode refletir através de todos os mitos em que Ela presencia seus filhos se matando, lugares sagrados a Ela sendo destruídos, pessoas matando seus filhos (nos mitos e na vida real), o que é ver esses acontecimentos através dos olhos Dela, a Mãe de tudo o que nos rodeia inclusive nós mesmos.


(Fonte: Deviantart)


Divirta-se.
E que Gaia abençoe nossas vidas
Álex Hylaios

3 de setembro de 2015

Roda do ano ao Deus Pan


Elaborei essa estrutura adaptada da roda do ano wiccana (os sabbats), com foco no Deus Pan. Espero que ajude àqueles que procuram um contato mais íntimo e poderoso com o Senhor de Chifres. 
Khaire Pan! 


Samhain - 31/10 (HN)¹ 30/04 (HS)²
Tema: A colheita do Bode
A ideia é lançar um olhar sobre mito romano da "morte" de Pan. Meditar sobre o distanciamento das características do Deus Cornudo do mundo e das sociedades, como metáfora que fala sobre o distanciamento das pessoas da natureza e do lado selvagem, exterior e interior a si. Como esse horrendo ato de automutilação à alma pode te levar a morte. 

Yule - 20-25/12 (HN) 20-25/06 (HS)
Tema: "O Grande Deus Pan está vivo!"
Vivenciar o "retorno" do Deus Pan ao mundo. Na época do renascimento, com o resgate da cultura da Grécia antiga, vários Deuses gregos voltaram ao dia a dia da sociedade moderna. Pan foi um dos que mais se fez presente na poesia, teatro, arte, esculturas, entre outros. Ainda hoje, podemos sentir a cada dia mais, o retorno da presença, magia e poder de Pan no nosso mundo. 

Imbolc - 02/02 (HN) 01/08 (HS)
Tema: Celebrando a renovação da Vida.
Conta o mito que após a guerra dos Titãs, a região da Arcádia estava totalmente destruída. Pan restaurou as florestas e prados com sua magia, e ao anoitecer, vestiu uma pele de carneiro e dançou e tocou sua flauta a luz da Lua para celebrar. Nesse momento a Deusa Titânide Selene se apaixonou por Ele e desceu à Terra para se deitar com Pan.

Ostara - 20-25/03 (HN) 20-25/09 (HS)
Tema: A Fertilidade permeia Tudo: Pan e Afrodite
Num dos mitos que Pan partilha com a Deusa Afrodite, ambos são protetores das abelhas e possuem o mel como seu símbolo sagrado. Esse festival pode ser feito com a intenção de celebrar as dádivas do mel e da renovação gradativa da natureza que tanto deve ao trabalho das abelhas a manutenção e renovação de seus ciclos anuais.

Beltaine - 30/04 (HN) 31/10 (HS)
Tema: Hieros Gamos - O Casamento com a Terra
A energia sexual de Pan é uma de suas características mais marcantes. Ele se deita com várias Deusas, e em alguns mitos, é filho e consorte da própria Mãe-Terra, Gaia, a primeira Mãe de Tudo, segundo a visão helênica.

Litha - 20-25/06 (HN) 20-25/12 (HS)
Tema: Pan, O Deus das Fadas

É consenso entre os devotos de Pan o quanto sua energia está conectada com os povos feéricos. Em vários de seus aparecimentos ao longo da idade moderna, Ele e seus sátiros aparecem nas noites de verão de Shakespeare, nos bosques encantados de Lorde Byron, no emocionante livro de Arthur Machen "O Grande Deus Pan", ou nas ilustrações de imenso poder de Brian Froud. O mundo feérico também é governado por um Senhor de Chifres tão selvagem e antigo quanto o Povo Pequeno.


Lammas - 01/08 (HN) 02/02 (HS)
Tema: Os jogos de Pan
Conta o mito que Pan questionou um mensageiro, Fidípides, que corria rumo a batalha dos atenienses contra os Persas, por que os atenienses não lhe prestavam mais culto se já o haviam feito no passado. Pan então fala do quanto tem bons olhos em relação a cidade de Atenas e oferece ajuda caso voltem a cultuá-lo. Os atenienses concordam e fazem sacrifícios e libações à Pan. Após vencerem os persas, eles clamam em louvor o nome de Pan, constroem um templo à Pan sob a acrópole, e ofertam anualmente, uma corrida de tochas e sacrifícios em honra ao Deus. 

Mabon - 20-25/09 (HN) 20-25/03 (HS)
Tema: O Cuidar como expressão do Amor

Pan é também uma divindade ligada ao Amor. Ele é uma expressão primordial e selvagem dessa energia. Pan nos mostra o quê e onde podemos dar verdadeira atenção e amor em nós mesmos, e no mundo. Você embeleza o mundo ao seu redor a cada passo dado? Você espalha a alegria da Vida a cada sorriso provocado? Você inspira a magia em si e nos outros a cada ato consumado? Pan lhe guiará e será guiado por você nessa jornada de auto-reflexão; assim como quando Psyquê tentou o suicídio e as palavras de Pan lançaram sobre Ela reflexões que a fizeram enxergar em si uma força interior adormecida, Ele o guiará por uma estrada parecida.



Que a Presença, o Poder e a Magia de Pan floresçam no mundo. 
Hoje e sempre! 

Eirene Theoi! 
Álex Hylaios

¹ Hemisfério Norte (data original da celebração)
² Hemisfério Sul (data adaptada ao calendário local) 

  


  

6 de julho de 2015

Saudações diárias ao Deus Pan

Saudação matinal à Pan:


Hoje canto a Pan 
Senhor da Natureza e da Vida 
Senhor do Masculino e da Alegria 
Senhor de Tudo, dentro e fora de mim. 
Seu chifre enaltece meu poder 
Seus cascos emponderam meus caminhos 
Sua presença alegra todo o meu ser 
E rico e próspero eu sou 
Por dentro e fora de mim 
Saber que eu sou Você 
Ande comigo hoje e sempre 
Dance comigo hoje e sempre 
Ame comigo hoje e sempre 
Pois hoje e sempre, eu sou seu. 
Abençoado sejas Poderoso Pan. 
Hoje e sempre. 
E me lembrarei de ti em outras canções. 
Khaire Pan!

Saudação noturna à Pan:

Seu chifre me deu poder 
Seu casco me amparou 
Sua força é minha força 
E hoje eu descanso feliz contigo do meu lado 
O meu chão é sagrado pois tu caminhou sobre ele 
Meu coração é sagrado pois você cantou para ele 
Meu sexo é sagrado pois você constitui tudo dele 
Obrigado por tudo meu Pai 
Obrigado por minha vida 
Obrigado por meus obstáculos 
Pois com o poder em mim que vem de ti 
Eu vencerei todos eles 
Abençoado sejas Caçador. Abençoado sejas Bom Pastor. Abençoado sejas Grande Deus Pan. 
Nessa noite e em todas as outras que virão. 
Eirene Theon!

Álex Hylaios
(Reprodução permitida desde que citada a fonte)

24 de novembro de 2014

Os epítetos de Pan

Essa é uma pesquisa pessoal sobre os epítetos (títulos sagrados, usados no culto de determinada divindade grega) relacionados ao Deus Pan.

Estátua de Pan segurando uma máscara

Epítetos: 

Aigokerôs - O Senhor de Chifres

Agreus - O Caçador 

Agrotas - O que dá uma boa colheita

Akrôritês - O senhor dos montes (Monte Acrórite, em Sikyos)

Haliplanktos - O Caminhante do Mar (O Viajante)

Limenitis - Protetor dos portos e dos marinheiros 

Lytêrios - O Libertador, O que traz a Cura

Lytierses - Da cidade de Litierse (?) (Pouca informação sobre) 

Menalius - Do monte Menálio, na Arcádia. Local de culto das Mênades e de Pan. 

Nomios - O Bom Pastor. 

Phorbas - O Terrível (Pan como o Senhor do Pânico)

Sinoeis - O Malicioso, ”Pernicioso”

Skoleitas - O de Muitas faces/O de muitos caminhos


Álex Hylaios

  

Dicas de práticas mágicas para quem sofre de baixa auto-estima, depressão e ansiedade

Vejo que um dos principais motivos das pessoas buscarem curas alternativas, meditação, yoga, paz interior, são reflexos e válvulas de emergência que surgem por situações que não estão legais. Um dos males que atinge nossa sociedade são os desequilíbrios emocionais que resultam em tristes doenças que tentam nos fazer acreditar que não tem cura. Pois bem, criei esse passo a passo para pessoas que queiram buscar essa melhoria de vida em todos os aspectos: físico, emocional, mental e espiritual.
"Acorde e Viva"

Um ditado japonês que adoro é: "Uma alma saudável, habita uma mente saudável, de um corpo saudável."
Temos uma missão perpétua e diária de manter nossos corpos, sentimentos e mentes em constante estado de equilíbrio. Fazendo isso vamos influenciar o mundo que está ao nosso redor. E para ajudar o mundo, precisamos primeiro ajudar as pessoas mais importantes: nós mesmos.
Então vamos lá:


Práticas diárias:

- Ao acordar, mentalizar e depois dizer em voz alta: eu estou melhorando sempre. Traga essa energia pra sua vida, inspire ela em cada ato do seu dia. Independente se você não sente que está melhorando, traga isso pra sua vida e afirme isso em voz alta pra você mesmo todos os dias da sua vida, pelo menos três vezes ao dia. Quando alguém te cumprimentar e perguntar como você está, responda: Estou ótimo! Melhorando sempre! ou alguma coisa nesse sentido.

- Abençoe seus alimentos, sua roupa, sua comida. Ponha as mãos sobre eles e diga: eu abençoo esse alimento com energias positivas, de saúde, amor, paz, prosperidade e felicidade.

- Alimente-se sempre de forma saudável e regular. Não fique longos períodos sem comer e não deixe de beber água. A saúde do seu corpo interfere profundamente na saúde das suas emoções.

- Pratique algum exercício físico que te deem prazer. Não adianta ingressar na academia se você odeia o ambiente e os exercícios da academia. Busque alguma atividade física que te faça sentir aquela euforia gostosa da época da infância, quando você ia ao parque de diversões.

- Abençoe você mesmo todos os dias. Assim:
Ponha as mãos nos seus pés e diga: Abençoados são os meus pés que me guiam pelos meus caminhos
Ponha mãos nos joelhos e diga: Abençoados são meus joelhos que me sustentam com segurança
Ponha a mão sobre seu ventre/falo e diga: Abençoado seja o meu sexo, sem o qual não existiria vida
Ponha a mão sobre seu peito e diga: Abençoado seja meu coração, receptáculo das bençãos universais
Ponha a mão sobre os lábios e diga: Abençoados sejam os meus lábios que espalham palavras de harmonia
Ponha a mão sobre seus olhos e diga: Abençoados sejam meus olhos que veem toda a beleza do universo
Ponha a mão sobre sua testa e diga: Abençoada seja minha mente que conhece a sabedoria e o amor 
Passe a mão da sua cabeça até seus pés dizendo: Abençoado sou por um todo, pois vivo no amor dos deuses/pois vivo no amor universal.

- Evite os pensamentos negativos. Quando vierem diga pra si mesmo: Eu me mantenho firme e melhorando sempre! Meus medos passarão e eu resistirei a eles. E quando houverem passado, somente eu restarei. Mais forte e melhor que antes.
Repita esse mantra sempre que necessário, até decorar.

- Tenha pensamentos amorosos com as outras pessoas. Pense que elas podem estar numa situação pior que a sua. Coloque-se no lugar das outras pessoas e aprenda a enxergar o mundo pra além da sua visão pessoal. Saiba que assim como você precisa de ajuda, você pode ajudar. Assim como você precisa de cura, você pode curar. Assim como alguém pode deixar seu dia bem melhor com um simples sorriso e bom dia, você pode transformar a vida de alguém com esse gesto. Permita-se ser um(a) gerador(a) de energia positiva. O mundo precisa disso. E o que entregamos ao universo, ele nos devolve em dobro. Triplo se você for um(a) iniciado(a) da Wicca. rs

Práticas semanais:

- 1 vez por semana tome um banho de ervas feitas de: alecrim, artemísia, sálvia, rosa branca e canela. Faça isso durante um mês. Serão 4 banhos. Este é um banho de limpeza e fortalecimento energético e espiritual. Sempre que tomar o banho visualize uma energia vermelha de amor, força e perseverança preenchendo seu corpo e te limpando das coisas ruins.

- 1 vez por semana pegue uma pedra qualquer da rua. Segure-a na sua mão e diga:
"Esta pedra leva embora
Tudo de ruim que em minha vida possa estar
Ao devolvê-la ao chão,
A Mãe Terra vai me trazer paz e me revigorar."  

Sinta que tudo de ruim da sua vida passa pra pedra e você a joga em algum lugar da terra ou em um rio de água corrente. Não deixe essas pedras dentro de casa, faça isso em algum lugar ao ar livre, de preferência na natureza. Pode ser em uma praça ou bosque da sua cidade. 

- Faça algo que te dê prazer. Tire um tempo pra ler um livro que você queira e/ou goste, vá ao cinema sozinho, aprenda a sentir prazer e conforto com a sua própria presença.

- Faça algo de bom pra algum desconhecido. Pode ser dar uma flor pra alguém que esteja passando na rua, oferecer uma mensagem de felicidade ou simplesmente sorrir pra alguém que você não conhece.

Dicas:
- Alimente o desapego em todas as áreas da sua vida.
- Destrua todas as suas expectativas em relação as outras pessoas; aceite-as e ame-as com o que elas tem a oferecer e não pelo que você espera que elas ofereçam.
- Crie metas e trabalhe diariamente para concretizá-las.
- Sempre esteja aprendendo algo novo. Deixar sua mente em expansão é se abrir para novos horizontes de possibilidade.
- Ame sempre. Você mesmo e as pessoas ao seu redor.
- Não faça nada por obrigação. Busque sempre aquilo que te traz plenitude e alegria. Se você não pode mudar de um trabalho que não te dê prazer, crie metas que o levem a encontrar o seu trabalho dos sonhos. Assim como para qualquer situação que te coloque essas imposições.
E o mais importante:
- Aprenda a agradecer sempre. De forma sincera. Essa é uma das magias mais poderosas que existe no universo.
- Não alimente a inveja.
- Não permita que a negatividade te domine.
- Busque a liberdade interior e exterior sempre.

Dentro de 1 mês seguindo essas práticas, você deve melhorar bastante. Não deixe de fazer nada do indicado. É um processo de fortalecimento e cura espiritual e pessoal que precisa ser contínuo, disciplinado e praticado. Você é livre pra adaptar essas práticas como bem entender e fizer mais sentido pra você.

Seja feliz acima de tudo. Os Deuses nos trouxeram até aqui pra experimentar todas as alegrias da Vida. A única coisa que merecemos desde que nascemos é a Felicidade. Essa é uma benção pública, democrática e de livre acesso a todos aqueles que estiverem dispostos a buscarem-na.

Pois então levante a cabeça, sorria para as dificuldades e dê o melhor de si!
"Quando a pessoa tem força de vontade, os deuses dão uma ajuda." - Ésquilo

Álex Hylaios
Que Afrodite e Pan inspirem Liberdade e Amor no mundo.

Permita-se ser livre. Hoje e sempre.

 

20 de novembro de 2014

Reflexões sobre o Deus e o Sacerdócio

Desde 2011 eu celebro ininterruptamente a roda do ano wiccana. Celebro seguindo as datas do hemisfério norte, o que quer dizer que estamos no período entre o Samhain e o Yule. Para quem ainda não se aprofundou nos mitos relacionados a cada sabbat, o Samhain é conhecido como a terceira colheita: a Colheita da Carne. É o período que pela terceira vez o Deus se sacrifica para manter a vida de seu povo e nutrir a terra. O Deus, dentro da Wicca, é encarado como sendo a própria Roda do Ano; os ciclos dos sabbats representam as etapas da sua vida em contraste com as experiência com a/na Deusa. Podemos encarar também como o sacrifício final que prova o amor Dele por Ela; doando sua energia para manter a vida e os ciclos sempre inovadores/renovadores que permeiam a simbologia da Roda do Ano. Uma vez aprendi que o Deus da última roda nunca será o mesmo Deus da próxima. Ele renasce com a mesma essência mas numa nova encarnação, cheio de vida e pronto para encarar e aprender o que aquele novo período trará. 

Me peguei refletindo sobre os sacerdotes (homens) nesse período. Se somos o Deus na terra, e Ele segue esse fluxo cíclico a cada roda, não estaríamos também fluindo nas mesmas marés? Até agora, tudo me leva a crer que sim. Desde o último período entre Samhain-Yule percebo conscientemente essa influência tanto na minha vida, quanto na vida dos sacerdotes a minha volta. Esse é um período de grandes finais e grandes começos, muitas vezes nada fáceis. Questões mal resolvidas que nem durante o rito de Samhain puderam (e muitas vezes nem deveriam) ir embora, vem nesse momento para o acerto final de contas. Nem sempre são questões negativas ou interiores. Também são conquistas finais que estavam esperando o momento certo para surgirem em nossas vidas. Aprendizados que surgem ao longo dessa "jornada pelo submundo" que o Deus e nós, seus instrumentos nesse plano, empreendemos. No fim, vamos encarar o que vem pela frente, nosso renascimento para sermos novamente um novo Deus, numa nova roda, com novos desafios, plantios, aprendizados e colheitas. Até agora, acredito que esse período Samhain-Yule é um encontro com nossas dívidas. E infelizmente nem sempre temos o crédito em conta para pagá-las. 

Esse tal de auto-conhecimento, sempre fazendo a gente crescer. E depois que você se inicia a cobrança só triplica. Acho justo. Afinal tivemos a ousadia de passar pelo menos uma roda testando se aquele seria mesmo o caminho que queríamos trilhar pro resto de nossas vidas; e quisemos. Agora cabe a nós aprendermos a melhor maneira para lidar com nossas jornadas interiores e trabalhar. Muito. Para que quando vier o período Samhain-Yule, podermos encarar nossas dívidas com a carteira bem cheia, a mente tranquila e a certeza de que teremos chance de adquirimos muitos outros débitos na próxima roda. 

Pois então, mãos a obra. 
"O problema é: você pensa que tem tempo." - Buda 


Álex Hylaios  

   

18 de novembro de 2014

Sobre o Deus Pan

Achei esse texto num arquivo antigo aqui no computador, data de 2011.
Estava meio incompleto e a inspiração de terminá-lo veio agora.
Io Pan!
 _________

O Grande Deus Pan (fonte desconhecida)


 Pan é o Senhor da Sexualidade.Toda expressão sexual, todas as formas de sexo, o pênis do homem, a vagina da mulher, o androceu e o gineceu das plantas, os órgãos sexuais dos animais, as comunicações das células do nosso corpo reagindo ao toque excitante de um amante; tudo isso ligados a Pan. Ele rege a sexualidade de tudo.

 Pan é o Senhor da Fertilidade. A vida e seu fluxo estão diretamente ligados a energia Dele. Ele é o senhor da Roda do Ano, tendo em seus mitos a representação de todas as quatro estações. A terra fertilizada após uma chuva e a chuva são expressões do poder d'Ele. Ele é o ciclo polinizador dos insetos, Ele é o movimento do corpo da mulher que prepara seu útero menstruação pós menstruação para receber a vida, Ele é a semente da vida presente no esperma do homem.

 Pan é o Senhor do Êxtase. Juntamente com Dioniso, Pan é o Senhor do êxtase sagrado, da catarse do corpo e do espírito. Os estados xamânicos de consciência são suas formas de espiritualidade. As danças que conduzem ao êxtase e a estados alterados de consciência também são formas de expressão de seu poder.

 Pan é o Senhor da Natureza. Os filósofos alexandrinos por volta do século III/II a.C. usaram a imagem do Deus Pan para descrever o conceito que originaria o Panteísmo ("Pan" em grego significa Tudo, e "teísmo" vem da palavra grega Theos, que significa Deus) ou seja o conceito de que Deus está em tudo, dentro e fora de nós. Eles descrevem que os chifres de Pan representam a ligação com o mundo superior e os raios de sol que fertilizam a terra; os cabelos grandes e emaranhados representam as árvores e a grama que cobre o mundo; as costas manchadas de pintas representam as constelações e planetas do cosmo; o corpo meio homem representa nós mesmo, os humanos e a realidade como conhecemos; o corpo meio bode representa o mundo animais, todos os animais, e a parte "animalesca" que nós humanos possuímos, representa os mistérios e o desconhecido; os cascos de bode representam toda a terra física; e sua flauta representa o sagrado e o divino que está contido em todas as coisas.

 Pan é o Senhor da Música e da Dança. Todas as expressões musicais estão ligadas a Pan. Existem partes frequentes nos mitos de Pan que referem-se a ele como o "Dançarino Selvagem", referindo-se aos mitos em que Pan participa do cortejo de ninfas e sátiros de Dioniso e quando acompanha o cortejo da Deusa Rhea-Cibele.

 Pan é o Senhor da Vida. Pan é o próprio pulsar de vida que existe em todas as coisas. É o Rei Carvalho no ápice de seu poder no Verão. É o Sol derramando suas bençãos de calor e fertilidade sobre a terra. É a sexualidade aflorando nos jovens e o impulso criador que move tudo. É o poder de Litha emanando sua energia na Roda do Ano. É a alegria da vida e de viver, a sensação de aconchego e plenitude ao ler um bom poema, dizer um sincero "eu te amo" ou aventurar-se por novos caminhos. 

Pan é o Senhor da Morte. Por conhecer os mistérios da vida, Pan também governa sobre os mistérios da morte. É o Rei Azevinho no ápice de seu poder trazendo a intensa presença do Inverno. Em sua face mais terrível, Pan traz o pânico, o medo, aquela sensação de terror e desespero onde confrontamos as verdades que não desejamos saber. Era dito na Grécia Antiga que, quando você caminhava pelos bosques, lugares remotos, ermos longínquos e sentia-se aquela sensação de calafrio, medo e de que algo o observava, diziam que era o Deus Pan que estava por perto, te observando.

 Pan é Tudo. E Tudo é Pan.

 Khaire Pan!

Álex Hylaios

 

5 de novembro de 2014

DAR NÃO É FAZER AMOR, por Tati Bernardi

DAR NÃO É FAZER AMOR

Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca...
Te chama de nomes que eu não escreveria...
Não te vira com delicadeza...
Não sente vergonha de ritmos animais.
Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar....
Sem querer apresentar pra mãe...
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...
Te amolece o gingado...
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: "Que que cê acha amor?".
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho...
É não ter alguém para ouvir seus dengos...
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar
Experimente ser amado...

Tati Bernardi

24 de outubro de 2014

Sobre o ciúme





Retirado: https://www.facebook.com/BrunaCaram/photos/a.188174914555768.51145.187667641273162/840710085968911/?type=1&theater

11 de julho de 2014

Por que os Deuses Gregos e Romanos não são os mesmos? Qual a diferença?

Essa é minha opinião sobre o assunto.

Os Deuses gregos incorporam o que a cultura helênica (e não helenística, existem diferenças extremas) representa e pratica.

Os Deuses romanos o que a cultura latina (no sentido de cultura dos povos romanos pagãos - pré cristãos - que falavam latim) representa e pratica.

Os Deuses gregos tem origem em culturas advindas de vários povos das Cíclades, do oriente próximo e das tribos de povos da península balcânica. Os Deuses romanos tem origem nos etruscos.

O que aconteceu foi que no decorrer do processo cultural romano, muitos aspectos da cultura grega se tornaram sinônimos de elevada apreensão cultural, boa formação educacional e capacidade intelectual entre a aristocracia daquele povo. E aí aproximar-se do que os helenos representavam foi consequência disso. Mas logo durante o séc III e IV d.C., os romanos voltam-se muito mais pra cultura e apreensão mitológica dos etruscos do que dos gregos. Vide o exemplo do mito de Cronos comendo seus filhos: em Roma, Saturno não come e nem engole seus filhos, ele sequer é uma divindade do tempo, e sim da agricultura. O que acontece no mito romano/etrusco é que ele é um rei com poderes divinos vindo de outras terras e que ao encontrar Janus (outro rei no escopo etrusco) divide poder, sabedoria e conhecimento com ele e reinam na Idade de Ouro (na visão romana da coisa). Júpiter é outro rei (percebe-se a questão da divinização de antepassados aqui, pois todos eles eram humanos, nesses mitos. Com poderes divinos, mas ainda assim, humanos) que luta contra Saturno e toma o poder. Simples assim, sem ninguém comendo ninguém e tal.

Essa é uma das várias diferenças entre Romanos e Gregos.

Romanos são muitos mais ligados a tradição e a ortodoxia das suas práticas religiosas.

Helenos (Gregos) são ligados a ortopraxia e a não manutenção de um sistema religioso bem definido e dividido em hierarquia.

Romanos tem o Mos Maiorum (tradição ancestral) como eixo guia de sua civilização para manter a Pax Deorum (paz com os deuses) em vigência.

Helenos (Gregos) acreditam e praticam a Métron (moderação, equilíbrio) e a Eusebia (zelo e atenção para com as práticas e deveres com os Deuses) como um dos vários aspectos da Paideia (sistema educacional grego).

Romanos abominavam a democracia e lutaram e impediram a vigência disso até o fim da sua civilização.

Helenos (Gregos) inventaram a democracia e acreditavam que só esse poder compartilhado poderia ser um método equilibrado de expressar e fazer política (no sentido atual do conceito).

Então, é isso!

Eirene Theoi.
(Siga com a Paz dos Deuses)

Álex Hylaios

 

Feitiço para estimular o Amor Próprio

Esse feitiço não vai resolver todos os seus problemas de depressão, de baixa auto estima e de traumas de infância. Você quem vai resolver. Esse feitiço vai estimular seu potencial pra alcançar essa cura interna.
Um ótimo livro sobre o assunto é: Amor Mágico da Laurie Cabot.


O Feitiço de Amor Próprio (criado por Álex Hylaios)


Materiais:
1 pano vermelho (que dê pra enrolar todo o espelho nele)
1 espelho (que dê pelo menos pra você ver seu rosto todo nele)
Essência de Rosas
Artemísia
Alecrim
Sálvia
1 pote de vidro
1 quartzo rosa pequeno (que caiba dentro do pote)
Pedaços de Canela
Cravos
Tinta vermelha (acrílica é de boa)
Óleo mineral (ou óleo de sementes de uva, mais legal ainda)

Modo de Fazer:
Prepare um chá da sálvia, artemísia e alecrim (ferver os 3 juntos e coar depois) e lave o pano vermelho nele. Enquanto lava o pano entoe o encantamento:
"Estou a te purificar, de todas as memórias do passado que encontravam em ti seu lar
Limpo vai estar, para que meu trabalho possa abençoar.
Abençoado está pelo Amor que em mim vai inspirar." - Deixe o pano secar e não o enxágue com água.

Purifique o espelho com água e fogo (aspergindo com as mãos e passando uma vela pelo espelho), dizendo: Limpo do passado, seu objetivo real é revelado. Pela minha vontade e meu poder, através das forças do Amor te torno um instrumento sagrado.

Medite com o espírito da pedra (quartzo rosa) e peça o seu auxílio e suas bençãos pra magia de amor próprio que fará. Peça para pedra adicionar e potencializar a energia do óleo que vai preparar.

Purifique o pote como quiser, e misture o óleo, os cravos, a canela, algumas gotas da essência de rosas e o quartzo rosa. Diga: "Abençoado por minha magia, teu poder será condutor. Condutor para minha verdadeira beleza, condutor para minhas próprias proezas, condutor para meu próprio amor!" Repita 3 vezes.

Desenhe símbolos que te remetam ao amor no pote, com a tinta vermelha (corações, símbolo de Vênus, o símbolo de Áries, o símbolo de Touro, etc). Coloque as iniciais de seu nome na tampa do pote. Unte o espelho com esse óleo numa noite de lua cheia e admire-se no espelho.

Reforce no seu pensamento a ideia de que você é perfeito como você é. Coloque uma música, dance, cante, expresse sua beleza interior e direcione essas energias ao espelho.

Lembre-se que toda vez que se olhar no espelho, fortalece sua conexão consigo mesmo. Fortalece sua identidade pessoal, seu self, e consequentemente, seu Amor Próprio. O pano é o manto de poder que vai proteger e manter as energias estáveis no espelho. Mantenha-o sempre enrolado no espelho quando não estiver usando. O óleo pode ser usado em todos os seus feitiços de amor. E seu espelho é agora um instrumento sagrado de conexão com as potências do Amor.

Abençoad@ sejas pelo Mel Sagrado de Afrodite e Pan.


27 de junho de 2014

O Rito de Pan (Invocação), por Dion Fortune

Imagem: Gui Brigaudiot
Veio a voz do Destino, 
Chamando através do mar jônico
"O Grande Deus Pan está morto, está morto." 
Humilhada está a cabeça de Chifres 
Feche a porta pois não à chave
Para os vales em ruínas de Arcádia

Acorrentado pela Idade do Ferro 
Perdido da herança das florestas
Pesado segue o coração do homem 
Separado de Pan de leves pés; 
Exausto o coração segue acorrentado, 
Até que o Deus-Bode voltou, renovado.

Metade homem e metade animal
Pan é o melhor, Pan é o maioral 
Pan é Tudo e Tudo é Pan; 
Procure por Ele em todo homem 
De rápidos cascos e coxas encabeladas, 
Siga-o até os bosques de Arcádia

Ele vai acordar os mortos vivos 
Filho e sobrinho, esposa e marido 
Coração humano e mente humana 
Pan vem de novo, invocando as nossas chamas 
Metade homem e metade animal 
Pan é Tudo, Pan é o Pai primordial 
Venha, ó Deus Bode, venha a mim!


Tradução e adaptação: Álex Hylaios 
Retirado do livro "The Goat-Foot God" de Dion Fortune, 1936.

       

25 de junho de 2014

Invocação a Pan, por Dion Fortune

Le Faun - Carlos Schwabe (1923) 

"Eu sou Aquela que do Mar surgiu e sobre a Terra caminha
Ó Primogênito do Amor venha a mim
E permita que os mundos sejam formados por mim e por Ti
Dion Fortune

Doador da vinha, do vinho e do êxtase
Deus dos jardins, pastor sobre os capins
Portador do pânico que faz os homens fugirem
Eu sou sua sacerdotisa responda a mim!

Embora eu receba todos os presentes que tu provê, me trazes
Vida e mais vida em pleno êxtase do viver
Eu sou a Lua, a Lua que te invoca aqui
Eu sou a terra esperançosa que necessita de Ti!
Vinde a mim Grande Pan, vinde a mim!"


Tradução e adaptação: Álex Hylaios
Invocação presente no livro "The Goat-foot God" de Dion Fortune. 1936




 

18 de maio de 2014

Os epítetos de Afrodite

Essa é uma pesquisa pessoal sobre os epítetos (títulos sagrados, usados no culto de determinada divindade grega) da Deusa Afrodite. Espero poder fazer em breve algo parecido com os hinos antigos e propor uma análise sobre os mesmos.

Estátua de Afrodite. (desconheço a autoria)
Epítetos de Afrodite

Akidalia - um título de Vênus em Roma. O nome de uma terma natural onde Vênus se banhou com as Graças. Em grego, significa “a que afasta os problemas/preocupações”,

Akraia - A que está nas Alturas,

Alilat’ê - segundo Heródoto, é a forma que os “árabes” - povos do oriente - chamam Afrodite Urania,

Amathousia - Amathountia, da cidade de Amathus em Chipre. Um dos mais antigos centros de culto da Deusa.

Ambologera - A que venceu a velhice, A que atrasou a posteridade. Cultuada em Esparta com esse título.

Anadyomene - “A Deusa que se levanta do Oceano”. Título que faz referência ao mito de nascimento de Afrodite.

Antheia - Título que Afrodite recebeu em Cnossos. “A que floresce” ou “Amiga das Flores”.

Apatouria - “A que Engana”. Título que recebeu de acordo com o mito da guerra dos gigantes. Eles encurralaram Afrodite e esta chamou Héracles (Hércules) para ajuda-la. Ao longo que os gigantes iam adentrando na caverna, a Deusa os enviava direto para a morte nas mãos de Héracles.

Aphakitis - Título recebido por conta de seu templo na cidade de Apace, na Síria. A senhora dos oráculos.

Apotrophia - “A que põe pra fora”. Cultuada em Thebas com esse título, refere-se ao poder da Deusa que coloca pra fora tudo aquilo que as pessoas escondem em seus corações. Era cultuada junto dos aspectos de Pandemos e Urania.

Arakunthia - Faz referência ao templo dessa Deusa que se localizava no Monte Arakintos.

Areia - “Toda armada”. Refere-se a Afrodite como Senhora da Guerra, companheira de Ares. Aqui ela aparece toda vestida em armadura e portando armas.

Argynnis - Referência ao devoto Argenos, que era um dos homens favoritos de Agamenon. Quando ele morre em batalha, Agamenon erige um templo em honra a Afrodite Argynnis no local de morte do seu devoto.

Kallipugos - Título relatado por Ateneu, refere-se as formas sofisticadas, luxuosas e que compunham o escopo de mulher rica da aristocracia grega.

Knidia - Refere-se a sua famosa estátua feita em Cnidos na Cária. Críticos da arte afirmam que a Vênus de Médici é uma cópia da estátua de Afrodite Knidia.

Kolias - Faz referência ao templo de Afrodite no promontório ático ao lado do de Héstia.

Kyprogeneia - “Nascida em Chipre”. Referência ao mais antigo e maior local de culto da Deusa.

Kuthereia - Deriva da cidade de Cítera em Creta, ou da ilha de Cítera, que no mito, refere-se ao lugar onde Afrodite pisou primeiro logo após nascer. Possui templos em ambos os locais.

Despoina - “A que comanda. Governante. A que domina.” Título de poder pertencente a várias divindades femininas gregas, sendo uma delas, Afrodite.

Dionysia - A que acompanha Dioniso. Amante de Dioniso.

Dionaea - Título que refere-se as coisas sagradas para Afrodite; como as rosas, as pombas, barcos. É uma metonímia do nome da Deusa.

Erukiane - Deriva do templo que a deusa possuía no monte Eryx, na Sicília. Foi erigido por um de seus filhos, o príncipe Eryx.

Gamelia - Protetora dos casamentos.

Genetullia - Protetoras das grávidas e dos nascimentos.

Hekaerge - A que acerta de longe. O mesmo epíteto de Ártemis.

Idalia - Deriva da cidade de Idalion, em Chipre.

Limeniatis - Protetora dos capitães de navios, dos portos e dos navegantes. Pan possui o mesmo epíteto.

Mekhanitis - “Habilidosa nas invenções”. Athena, Zeus e Hefesto dividem esse título com Afrodite.

Melainis - “A Escura”. Cultua em Corinto com esse título.

Melinaea - Da cidade de Melina.

Migonitis - Da cidade de Miconio, na Lacônia. Local de vários templos Dela.

Morpho - Cultuada em Esparta com esse título, era representada sentada com os pés acorrentados e a cabeça coberta.

Nikephoros - A que traz a Vitória.

Pandemos - “Que é de Todos.” Esse epíteto denota dois contextos históricos de interpretação. O primeiro refere-se aos prazeres carnais do corpo que era vivenciado nas orgias sagradas do período e nas festas que aconteciam tais práticas. O outro sentido é o político. Acredita-se que Teseu instituiu o culto a Afrodite Pandemos na fundação da cidade-estado de Atenas pois é através Dela que ele conseguiu reunir todos os aglomerados e vilas numa única fundação sólida e consolidada como a pólis de Atenas. Outra divindade que possui esse epíteto é Eros.

Paphia - A que vem de Paphos, em Chipre.

Peitho - Personificação da Persuasão. Ora uma divindade a parte, a Persuasão sempre foi cultuada profundamente próxima a Afrodite. Acredita-se que se foi alguma divindade singular da Deusa, se transformou em um dos aspectos de Afrodite ao longo de seu culto. Na Lacônia, Arcádia, Chipre, Creta e Atenas haviam templos com estátuas de Afrodite com esse aspecto.

Syria Dea - “Deusa da Síria” Sob esse título o nome da Deusa Astarte apareceu pela primeira vez nos relatos gregos e denota que Afrodite partilha de características próximas de Astarte ou foi essa mesma que foi assimilada como Afrodite pelos povos helênicos.

Ourania - “A Celeste”. Aspecto de Afrodite que representa a oposição aos prazeres carnais e o caminho espiritual. Não se oferecia vinho ao se cultuar esse aspecto Dela;  Platão a descreveu como o aspecto mais elevado e olimpiano da Deusa.

Zephuritis - Derivado do templo localizado no promontório de Zefírium no Egito.


Zerynthia - Derivado do templo na cidade de Zerinto, na Trácia. Aproxima-se da Deusa Rhea-Kybelle.

POPOZUDA BEIJINHO NO OMBRO - Forma carinhosa do Álex chamar a Deusa. 



Com muito amor, 

Eirene theoi!
Álex Hylaios

Devoção e Sacerdócio: Diferenças ao lidar com os Deuses

Khairete!

O que é ser um devoto de determinada divindade nos dias de hoje?
E o que é ser um sacerdote ou sacerdotisa?

Muitos pagãos nos dias de hoje confundem ambas as coisas. Independente das nomenclaturas usadas, podem existir grupos e/ou pessoas que discordem da forma que abordarei os conceitos aqui. Ninguém está errado. Usemos da lógica polivalente kemética e sejamos todos mais felizes assim.
Vamos lá:

Na etimologia do termo o que é ser um devoto?
Segundo o Dicionário Etimológico Online (Online Etymology Dictionary) "devoção" é um termo que significa: dedicar-se por um voto - no sentido de juramento - , sacrificar-se por algo - aqui no sentido de doar-se a algo maior que você -, ato de consagrar por um voto; também lealdade, fidelidade e aliança são sinônimos desse termo.

Portanto devoção se aproximava mais da noção de sacerdócio que possuímos hoje. Prestar um voto afinal, é uma característica comum a todo sacerdócio independente da religião.
Porém, nos dias atuais, tratamos a devoção como uma forma de dedicação mais íntima a alguma divindade. Pode ser uma divindade que você vai passar 1 ano cultuando, 7 anos ou a vida toda. É como estar no período de viver a amizade íntima com os Deuses, você é um devoto deles.

Eu sou devoto de Hécate, Wesir (Osíris), Freyr, Exú, Gaia, Nebt-het (Néftis), Yinepu (Anúbis), Tiamat, Dioniso e outros. Não significa que eu responda como sacerdote de algum deles. Significa que eu expresso meu amor à eles na forma de devoção. Procuro esclarecer mal entendidos sobre eles, me esforço pra que pessoas que perguntam sobre eles a mim possam ter acesso a boas informações sobre e a pessoas que eu conheço, e que são sacerdotisas e sacerdotes desses Deuses para melhor auxiliarem quem busca sobre. Mas não significa que eu tenha um voto sacerdotal com alguma dessas divindades (em maior grau, como é o processo que eu estou seguindo para Afrodite e Pan).

E o que é a/o sacerdotisa/sacerdote de determinada divindade?
Novamente no Dicionário Etimológico Online, sacerdócio é: ser pertencente a coisas sagradas, divinas, sobrehumanas. Fazer parte da classe sacerdotal.

Desse modo, quando você se torna SACERDOTE (consagrado a) de alguma divindade, você está se tornando pertencente àquela divindade. Você e ela tornam-se um em questão de relação de intimidade e contato. É quando você se casa com determinada Deusa e/ou Deus ou panteão. Quando torna-se pleno totalmente para manifestar o culto e a energia daquela divindade na terra. E como tudo é recíproco no Universo. Uma dádiva requer outra dádiva. A divindade corresponde te tornando um avatar desta, te tornando um canal da energia dela na terra, dos seus desígnios e funções. Você se torna a vontade viva da divindade nesse plano e ganha o poder pra tal função. (é só mais trabalho gente, nada de ostentação ou títulos de luxo)

"MAS NA WICCA VOCÊ NÃO SE TORNA A VOZ DE TODOS OS DEUSES NA TERRA QUANDO SE INICIA??!"

Sim. Mas se lembra que eu citei que se tornar sacerdote de uma divindade específica e fazer um voto de maior grau? Um voto que vale sobre todos os outros? Não que os outros deixem de valer, mas esse último voto, se feito, passa a ser um divisor de águas na vida do sacerdote. Ele estará sempre com suas vidas nas mãos de determinada divindade e completa e absolutamente submetido aos mitos, vontades, requisições, inspirações e energias daquela divindade.

Quando nos iniciamos na Wicca, os votos são para a Deusa (a essência primordial feminina e criadora do universo, sem faces, nomes ou conceitos) e para o Deus - em algumas tradições não - (a essência primordial masculina e co-criadora do universo, sem faces, nomes ou conceitos). O voto não é feito a alguma divindade específica, até porque o processo pra se tornar um sacerdote de uma divindade tal é tão complexo (ou mais, na minha opinião) quanto o processo de se tornar um sacerdote. E é uma iniciação, lembra? É o início da sua caminhada. Não o fim. Não tem fim ^^

Essa é a diferença básica entre um devoto e um consagrado (sacerdote) de alguma divindade específica.
Consagrado é o nome que utilizamos na TCS para denominar aquele sacerdote que cumpriu o Caminho do Consagrado e se consagrou (né? rs) àquela divindade. Quando você está seguindo esse caminho, você é chamado de Devoto.

Eu sou um devoto de Afrodite e Pan. E espero poder partilhar mais sobre esse caminho com vocês e ajudar como for possível.

Que Afrodite torne minhas palavras sagradas para ensinar.
E que Pan sempre abra meu coração para aprender.

Eirene theoi!

Álex Hylaios

Contato com os Deuses Pagãos


Khairete! 
(Saúdo a todos!) 


Hoje vou falar sobre um tema que muitas pessoas, principalmente os novatos, volta e meia perguntam:

  • Como posso entrar em contato com os Deuses?
  • Como posso honrar os Deuses? 
  • Como posso fazer oferendas aos Deuses? 
O que você faz quando conhece aquela pessoa super legal, que sua energia e a dela batem de uma forma indescritível e você deseja cada vez mais se tornar amigo dessa pessoa? 
R: Vocês se conhecem melhor e se aproximam. Gostos compatíveis, formas de enxergar e vivenciar o mundo parecidas, preferências por isso ou aquilo vão aparecendo e vocês percebem cada vez mais terem coisas em comum. Daí desenvolve-se uma amizade e/ou algo mais. 
Assim é a relação com os Deuses pagãos. Uma relação de amizade e amor.  Uma relação sincera, real e pautada no respeito, fé e reciprocidade.   

Claro que a intimidade também faz parte e assim como você brinca com seus melhores amigos, você também poderá encontrar sacerdotisas/sacerdotes que zoam dos seus Deuses de culto, xingam quando estão com raiva, falam merda pra/sobre Eles e por aí vai. Acho essa coisa da intimidade uma das mais sagradas, engraçadas e saudáveis formas de culto nos dias atuais. Temos uma imagem de um deus - cristão - distante, fechado, impositivo, sério, mal-humorado e punidor; imagem esta que está profundamente longe do que são os Deuses pagãos e na forma que nos relacionamos com Eles. Geralmente quando entramos em contato com os Deuses pagãos, principalmente no começo, achamos que se não fizermos oferendas sempre Eles vão se zangar, vão nos ignorar ou nem irão nos dar atenção. Bobeira! Se existem Deuses super sociáveis, estes são os Deuses Antigos. Inclusive os do submundo para com os seus. Quem não quer ter amigos novos e quiçá um(a) futur@ namorad@/marido/esposa?! É assim que os Deuses pagãos nos veem. Porque veja, quando você faz um voto de dar sua vida para determinada divindade, casal sagrado ou panteão, basicamente é o que você faz: se casa com aquela(s) divindade(s). Sua vida inteira será pautada nessa relação e não é um matrimônio que possibilite divórcio. Por isso pense bem antes de fazer votos de SACERDÓCIO a alguma divindade. Não tem volta. Assim como também não tem volta para os votos iniciáticos.  

Sabendo disso, vamos a próxima questão. Como honrar os Deuses? Primordialmente é: Lembrando Deles! 

Qual a melhor forma de chamar a atenção de alguém que você está interessado? Seduzindo a pessoa, com seu carisma, com seu sex appeal, com presentes e por aí vai. Seduza a/o/os Deusa/Deus/Deuses que você quer entrar em contato. Leia sobre os mitos da divindade, monte um altar para eles, faça oferendas de coisas que essa divindade gosta, medite com a divindade, crie saudações diárias aos deuses, oferte músicas que você curte, leia um livro e bata um papo com a divindade sobre o assunto, ouça músicas e sinta a vibe dessa determinada divindade nela. Existe uma miríade de formas para se explorar aí e de pouco a pouco, sua forma de seduzir os Deuses se aprimora. A prática não leva a perfeição? Então, aqui não é diferente. 

E agora, sobre as oferendas. 
"MAS COMO EU VOU SABER SE OS DEUSES GOSTAM DISSO, DAQUILO, DAQUILO OUTRO?!" 

Lendo os mitos da(s) divindade(s). Lendo sobre a cultura a qual aquele panteão faz parte. Pesquisando.
Por exemplo: 
- Os Deuses gregos odeiam qualquer coisa que corrompa o livre arbítrio de outra pessoa. Portanto, você não vai roubar dinheiro pra fazer uma oferendas pra eles. Você não vai pular no quintal do vizinho e roubar frutas/verduras/legumes e ofertar para eles. Você não vai sacanear os sentimentos de alguém só pra transar com essa pessoa e ofertar isso a Afrodite. Você não vai sair transando com 15, 30, 50 pessoas e se sentir o grande fodedor do universo e oferecer isso a Pan, sem se preocupar com a sua saúde, com a saúde das pessoas que estavam envolvidas, com a forma que rolou esse sexo. Foi consensual? Acredite, já vi pagãos dizerem que Pan é um Deus que concorda com ESTUPRO. Velho, simplesmente não faziam ideia do que estavam falando. Nunca corrompa Deuses do sexo com as feridas do patriarcado de hoje. Eles vão te amaldiçoar com certeza. Entender o que é um desequilíbrio e que tais desequilíbrio não fazem parte da natureza da divindade, mas sim do seu processo de aprendizado com elas, é uma grande mudança de paradigma, pra melhor, no meu ponto de vista.  
*Voltando ao assunto*
Os deuses gregos amam praticamente tudo aquilo que seus devotos conseguem com seu próprio esforço, independente do que for. Se feito com amor (Eros) aos Deuses, está bom pra eles. 

- Os Deuses egípcios odiavam e ainda odeiam oferendas de sangue. Não é costume você encontrar algo sobre sacrifícios com sangue tanto de animais e tão pouco de humanos para os keméticos. Sangue era algo que atraia a atenção do Unseen World (do Mundo Invisível) e portanto, eles não eram muito ligados a isso. Não para oferendas e contato com os Deuses. Egípcios adoram chocolate e coca cola! Por raios que eu não faço questão de saber o motivo. *rs*

Pesquisar e ler sobre a divindade já é uma oferenda do seu tempo e do seu interesse. 
Se abra para a divindade. Medite. Pergunte o que a/o Deusa/Deus gosta. 
Eu por exemplo, sempre soube que a tartaruga era um animal sagrado à Pan (cultuo Ele conscientemente a mais de 6 anos). Mas só fui encontrar referência a isso nas fontes antigas esse ano. O mesmo aconteceu com o mel, as abelhas e Afrodite. Eu já sabia que pertenciam a Ela (e a Pan também!), mas só depois de muita pesquisa que fui descobrir que realmente existiu e existe ainda essa prática em honra a Deusa. 

O processo de desenvolver um contato e posteriormente uma relação com os Deuses é algo único e individual. Um grupo pode te passar as ideias que ele pratica, amigos pagãos podem dar dicas, mas só você e somente você pode colocar isso em prática. E aí que está a magia da nossa religião. Não precisamos de pastores intermediando nossos ritos pessoais aos Deuses, nosso contato diário, nossa devoção e nossa fé. Se é com Amor, é Real. Portanto, é válido. 

Espero ter ajudado alguém e daqui um tempo, mais texto sobre o tema! 

Eirene theoi! 
(Que a paz dos Deuses esteja com você) 

Álex Hylaios 

22 de abril de 2014

Magia de Amor, introdução

Quando falamos em Magia de Amor, logo surge uma palavrinha que parece que virou sinônimo do tema: amarração.

E será que tem algo a ver, uma coisa com a outra? Sim, tem.
Existem muitas formas de praticar feitiços, alguns podem respeitar o livre arbítrio alheio e outros não.
Os feitiços que de modo geral "amarram" a pessoa a você, tendem em 100% dos casos a ir contra a vontade da pessoa, de forma consciente ou inconsciente. Por que eu digo isso? Porque me diz qual animal gosta de ser aprisionado contra sua vontade? Porque, existir alguém que queira entrar pra uma prisão de bom grado, eu pressuponho que ainda não existe (?). Nós seres humanos somos animais. E somos animais profundamente apegados a nossa liberdade. No nível consciente ou inconsciente, a/o cidadã/ão em questão que foi amarrad@ com certeza sentirá isso. E não vai ser legal quando ela/ele começar a tentar se soltar. Do desprezo à loucura são alguns dos sintomas pós-amarração que surgem. E lidar com isso depois, bem... é meio tenso.

Mas por que dessa fala?

Hoje em dia, falamos muito de Amor, perseguimos muito o Amor, desejamos intensamente o Amor em nossas vidas. Mas será que o Amor nos deseja? Será que o Amor quer estar em nossas vidas? Será que quando o Amor te fez uma visita, ele foi bem tratado, com hospitalidade a nível grego de ser?
Vi uma sacerdotisa dizendo uma vez que certa pessoa está sempre rodeada de amor porque a pessoa ama o amor. Passei a reparar na vida da pessoa e simplesmente era verdade! A pessoa não fica um mês sozinha, quiçá sem namorar de forma verdadeira, intensa e concreta.
Então quando alguém tem muitas dificuldades no campo sentimental e vive pensando que esse ou aquele feitiço pra atrair determinada pessoa pra vida dela vai resolver o problema, eu sempre olho de sombrancelha erguida e penso: tolinh@.

Então como lidamos com a questão? Primeira coisa: Amor Próprio!

"Eu nunca trarei o amor da sua vida. Isso não existe pra mim. Eu te transformarei no amor da vida de qualquer de qualquer pessoa, e depois disso, será tão apaixonado por si que os outros simplesmente desejarão de forma intensa partilhar dessa paixão." - Afrodite me dizendo isso numa meditação.

Como está se tratando? Como você se sente quando se olha no espelho? Qual a sua relação com o Amor, de forma exterior (com os outros) e interior (consigo mesmo)? Como você lida com seus amores? Você se sente incompleto, esperando "a outra metade da sua laranja", "a tampa da sua panela", a sua "alma gêmea" ou você se trata como alguém pleno, completo por si só, que só transborda de amor e por isso cativa os que estão ao seu redor?

Existem muitas formas de fazer Magia de Amor. A maioria delas parte do pressuposto que existe algo a ser conquistado (se tem de ser conquistado, não te pertence originalmente, e o que a Deusa disse sobre a busca infrutífera ocorrer sempre fora de si?)* fora e não dentro de si. Isso na minha visão, e imagino que na de Afrodite pois ando aprendendo isso tudo Dela, não funciona tão bem quanto começar do começo.

Comece a se amar, comece a fazer magia de amor para si; arrume a casa para assim receber de forma confortável as suas visitas. Mas saiba que a casa é sempre sua e estará no seu nome até o fim dessa vida e de todas as outras**. Não pense que passar a casa para o nome de alguém vai fazer essa pessoa demorar-se por mais tempo, te amar mais ou te desejar mais intensamente. Dê valor em si. Na sua plenitude. No seu jeito de ser. No seu jeito de amar. No seu jeito de viver. Não aceite menos do que você é. Pois você é uma expressão da/do Deusa/Deus no mundo. Permita-se ser tratada(o) como tal.

Voltaremos em breve com mais ideias, provocações e tensões sobre o tema.

Saúde, Felicidade e Prosperidade
Álex Hylaios

* "...E você que busca conhecer-me, saiba que sua procura e ânsia serão em vão, a menos que você conheça os mistérios: pois se aquilo que busca não se encontrar dentro de você, nunca o achará fora de si. Saiba, pois, eu estou com você desde o início dos tempos, e eu sou aquela que é alcançada ao fim do desejo." (Carga da Deusa, por Doreen Valiente)
** Metáfora sobre como tratar a si mesmo
 

Sobre mim

Meu nome é Álex Hylaios (nome pagão)

Sou sacerdote wiccano. Estou atuante como educador ambiental num grupo de juventude e meio ambiente a mais de 7 anos. Estou estudante-pesquisador de História, com foco em História Antiga; principalmente na Política e Religião da Hélada (Grécia Antiga).

Amo viver. Amo mesmo. Amo os Deuses Antigos, que pra mim são a expressão máxima do que é a Vida em todas as suas faces e formas. Amo estudar, amo aprender, amo viajar, amo comer, amo beber, amo dançar, amo conhecer gente nova, amo me apaixonar, amo ser livre, amo a magia, amo os Dragões, amo meus amigos, amo beijar na boca de quem me interessa, amo a sexualidade sagrada em todo o seu potencial; Amo o Amor.

Conheci a Wicca com uns 12 anos através das revistinhas da Eddie Van Feu. Tomei birra do tema na época porque li que tinha anjos e santos e coisas do tipo na Wicca; e com 12 anos de idade, não fui atrás pra saber mais sobre. Mas o interesse por magia e Deuses vem desde quando li a Odisséia e a Ilíada ainda com 10 anos de idade. Meu tesão por deuses gregos vem daí, eu acho.

Esse blog surgiu muito antes da minha entrada formal no mundo pagão. Devo ter ele desde quando comecei a praticar e estudar magia draconiana, com uns 14 pra 15 anos. Já foi excluído, já foi reinaugurado e já foi abandonado. Agora pretendo dar a ele uma cara mais devocional, mais pagã, com textos sobre bruxaria, paganismo, magia, Deuses, Dragões e outros amores da minha vida.

Vejo a internet hoje como a grande voz da Deusa no mundo. Percebo muitas pessoas realmente se encontrando e voltando a se reconectar com os Antigos por conta do que descobrem nos grupos e sites de magia e bruxaria que existem por aí. Eu fui um desses. E espero poder criar um espaço que colabore e dê um conforto para os que buscam aprender e trocar ideias sobre esses assuntos.

Não pretendo tratar de todo tipo de tema aqui. Pretendo falar sobre o que me interessa, minha visão sobre o que mais curto (e o que não curto) no caminho sacerdotal, da arte e da magia.
Então, bora em frente que atrás vem gente ;D

Saúde, Felicidade e Prosperidade!
Álex Hylaios

 


Sobre o blog


Oi! 

Decidi remodelar, recriar, transformar. Quando algo está estagnado você tem duas opções: jogar fora ou transformar. Pois assim estava esse espaço. E escolhi a segunda opção. Acho que é da minha natureza dar uma segunda chance sempre que possível, e esse blog já teve muitas segundas chances; mas agora estou inspirado e pretendo dar um bom rumo (que os Deuses me ajudem!) para o blog e com uma boa qualidade (?) para o que eu postar por aqui. Dancem comigo junto a Afrodite e Pan, nessa cidade-bosque incrível chamada Vida. 
Então, como bem dito na abertura de uma das minhas séries favoritas:

"Essa é a história do último sátiro urbano*. O ano é 2014. O nome do lugar: Sátiro na Cidade."**

* - referência ao primeiro nome do blog 
** - abertura da série Babylon 5: "This is the story of the last of the Babylon stations. The year is 2258. The name of the place: Babylon 5."

Saúde, Felicidade e Prosperidade
Álex Hylaios